Crianças e o Coronavírus.

/, Notícias da Cidade/Crianças e o Coronavírus.

Com a retomada de algumas atividades, como cuidar das crianças e como orientá-las da forma correta?

 

Aqui no DF, algumas atividades como o comércio tem aos poucos voltado a funcionar. Isso não significa que devemos relaxar nos cuidados com a Covid-19. È aí que precisamos nos policiar ainda mais. Mas, como orientar também as crianças para essa nova rotina?

“No início da pandemia, pensava-se que crianças não estavam sendo infectadas, mas agora está claro que a quantidade de infecção em crianças é a mesma que em adultos”, explica Andrew Pollard, professor de Infecções Pediátricas e Imunidade na Universidade de Oxford.

Falar sobre o Coronavírus tem sido uma descoberta diária. Estudos mostram que o vírus na maioria das crianças, afeta mais as vias aéreas superiores, como boca, nariz e garganta, gerando sintomas leves de um resfriado. Isso faz com que elas não sejam testadas como os adultos, o que leva a uma subnotificação. Porém, existem casos em que o vírus pode gerar complicações respiratórias graves, como: crianças portadoras de diabetes, fibrose cística, cardiopatia, asma, entre outras patologias e levá-las até a desenvolver outras doenças. Portanto, todo cuidado ainda é pouco.

Orientar os pequenos sobre os cuidados diários de higiene é fundamental nesse momento:

  • Tentar ensiná-los de forma lúdica e fácil sobre a higienização das mãos e como tossir ou espirrar da forma correta, em um lencinho ou na dobra do braço;
  • Orientar sobre como colocar e retirar a máscara para não se contaminar;
  • È recomendado que crianças menores de 2 anos, pelo risco de asfixia, não usem máscara mas, se usarem, sempre com a total atenção dos pais;
  • Trabalhar o lado psicológico das crianças também é muito importante, para que entendam o que estamos vivendo e sobre a importância dos cuidados. Precisamos gerar valores que não podem se perder mesmo quando a pandemia passar;
  • Crianças brincam muito no chão, então, mantê-lo sempre limpo e evitar usar sapatos no local.

A doença pode ser leve em algumas crianças, mas elas podem transmitir o vírus para quem faz parte do grupo de risco.

Só vá a locais públicos e leve seus filhos quando realmente necessário, mantendo o distanciamento social, o uso de máscaras e a higienização das mãos.

 

A palavra convence, mas o exemplo arrasta. Não se preocupe porque seus filhos não te escutam, mas te observam todo o dia.”
-Madre Teresa de Calcuta
Eu sou Nádia Teixeira, Enfermeira, Professora e Consultora em Saúde e estou aqui toda quinta feira na coluna Café com Saúde!
Instagram: prof.nadia_cst

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.