“Tal mãe, tal filha”

Juliote Binoche está nessa comédia francesa como Mado, uma mulher completamente desmiolada que engravida aos 47 anos do ex marido Marc (Lambert Wilson) ,com quem mantém uma amizade colorida escondida da filha deles, a certinha Avril (Camille Cottin) que também está grávida do namorado abobalhado.
Mas o filme erra feio e não consegue manter o humor a que se propõe, a não ser por uma situação ou outra.
Pra começar a personagem de Camille, a joven Avril, é uma mulher chata pra caramba, com um monte de neuroses sem função alguma. Também Mado abusa com tanta infantilidade e inconsequência o que faz do roteiro um monte de situações forçadas para virar comédia.
A direção fraca e medrosa de Noémie Saglio fez do filme um desperdício de boas oportunidades e transforma suas protagonistas em caricaturas de um filme de Paulo Gustavo.
Com excessão de Lambert Wilson e apesar da intimidade tremenda de Binoche com a câmera, o filme é pavoroso.

Nenhum comentário ainda.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.