“Prontos para mais um dia na luta”, diz mãe de menino picado por escorpião em Arniqueira

 

Thomas Caitano, de 2 anos, foi picado por um escorpião na madrugada do ano novo, em Arniqueira. Quase um mês do ocorrido, o garoto segue em sua batalha intensa, e conta com uma mobilização gigantesca de amigos e familiares para que possa se recuperar. A mãe do menino, Adriana Caitano, ao lado do pai de Thomas, fez um desabafo cheio de esperanças nas redes sociais, nesta quinta-feira (27/1). Veja.

“Vocês acreditam em milagres? Eu, sim! E é nisso que tenho me apegado desde o início dessa jornada com o Thomas.

Tenho consciência de que no dia 1° de janeiro de 2023 nossa vida mudou para sempre. Chegamos perto de ver nosso filho partir muitas vezes e só quem passou por isso sabe o tamanho da dor e de como isso nos transforma.

Todos os dias acordo achando que foi um pesadelo e o Thomas vai levantar me pedindo pra mamar e ver o canal preferido no Youtube. Mas não é. Está acontecendo, tem quase um mês que não vemos os olhos dele abertos, que não ouvimos sua voz ou admiramos seu sorriso. Nós tentamos, mas não dá pra ser forte o tempo todo.

Ontem à noite eu e Artur sentimos fisicamente que estávamos exaustos. Parece que nosso corpo resolveu nos lembrar que não tem problema sofrermos um tanto, que não somos de ferro e precisamos parar para respirar. Choramos juntos até dormir. E acordamos prontos para mais um dia na luta pela vida do nosso filho.

Hoje mais cedo tivemos uma conversa longa com a equipe que cuida dele e um representante do acolhimento do hospital. Falamos sobre o que passamos até aqui e sobre os danos que a falta de oxigenação lá do início causaram para o cérebro do Thomas. Eles explicaram as possibilidades e o que podemos esperar a partir de agora – amanhã vão começar a reduzir a sedação devagar de novo para testar, vão avaliar trocar a intubação pela traqueostomia, esperar.

Muitas ou poucas sequelas, risco de o corpo não funcionar bem quando tirarem os aparelhos, muita coisa pode acontecer ainda… Dá medo? Dá.

Mas a medicina da Terra não tem como prever o quanto a força das orações pode interferir em qualquer resultado. E, cá pra nós, sabemos que elas são poderosas.

Por isso, seguimos acreditando no possível e no impossível. Porque só mesmo Deus sabe o que é melhor pra gente e, principalmente, para o Thomas. E é Ele que está no comando, sempre. 🙌🏾 #forçathomas

https://www.instagram.com/p/Cn5FyehPJfh/?utm_source=ig_web_copy_link

Entenda

A angústia da família começou na madrugada do ano novo. A mãe de Thomas, Adriana Caitano, conta que tudo começou por volta das 4h, quando a criança acordou e chamou pelos pais. “Ele estava chorando muito, coçando a cabeça e gritando muito de dor”, conta.

O pai da criança, então, perguntou se o pequeno havia visto algum inseto no local e passou a vasculhar o quarto. “Quando levantamos o travesseiro, vimos um escorpião, já grande. Percebemos que era grave e só o pegamos no colo, meu marido deu conta de capturar o escorpião, e saímos correndo”, relembra.

Ao perceberem a gravidade, os pais foram diretamente para o Hospital Regional de Taguatinga em busca de socorro, pois o marido de Adriana obteve a informação de que, em caso de picada de escorpião, deve-se encaminhar a vítima ao HRT e ao HRAN, hospitais de referência no atendimento a pessoas envenenadas por picadas de escorpião. Mãe e pai ainda entraram em contato com o Corpo de Bombeiros para confirmação.

A criança deu entrada no HRT em estado grave, alegando dor e vomitando bastante, exigindo tratamento imediato por meio do soro antiescorpiônico, medicamento utilizado em envenenamentos moderados e graves. De acordo com a equipe médica do hospital, a agilidade e precisão dos pais foi essencial e fez toda diferença no estado de saúde da criança.

Após o início do tratamento, Thomas começou a hiperventilar. Foi identificado que os pulmões haviam sido afetados, fazendo com que fosse necessária a sua transferência para uma unidade de terapia intensiva (UTI). A mãe da criança alegou que faltou equipamentos no momento da intubação e afirma que o atendimento poderia ter sido melhor caso houvesse estrutura. A UTI do hospital em que a criança estava internada não está funcionando. “Conseguiram uma vaga em um hospital via convênio SUS, mas não tinha médico para acompanhar meu filho na ambulância. Então, não podiam liberar essa transferência”, revela a mãe de Thomas.

Nesse período, os pais entraram em contato com o plano de saúde e o hospital particular que já conheciam para liberação da vaga previamente e da ambulância. “Ainda assim, a ambulância não tinha o pediatra para acompanhar e não tinha alguns equipamentos que eram necessários para o tratamento dele, justamente porque tinha coisa que estava destinada para a posse presidencial”, pondera.

No momento, Thomas Caitano está internado no Hospital Brasília de Águas Claras. O veneno do escorpião afetou o coração e os pulmões do menino.

Foto: Adriana Caitano/Redes sociais

Faz o seguinte, nos acompanhe nas nossas redes sociais. Dessa forma você fica sabendo primeiro DFÁguasClaras
Participe do Canal DFÁguasClaras de notícias e bastidores no TELEGRAM – https://t.me/dfaguasclaras
Além disso, para participar do nosso grupo de Whatsapp DFÁguasClaras, envie seu número para dfaguasclaras@gmail.com
(Somente assuntos de Águas Claras).
Grupo DFÁguasClaras no Telegram (Capacidade de 100 mil membros): Envie email solicitando o ingresso dfaguasclaras@gmail.com
DFÁguasClaras – Nossa Cidade Passa por Aqui!
No twitter siga: @DFAguasClaras
Facebook: www.facebook.com/dfaguasclaras
Youtube: www.youtube.com/dfaguasclaras

Você pode assinar o nosso PODCAST nas principais plataformas de áudio!

Spotify: https://open.spotify.com/show/2nS3gHAS4NacTdNbulW9bv?si=HePXG9zBToWZyZgWeP03fA

Podcast ITunes: https://podcasts.apple.com/br/podcast/df-aguas-claras/id1499932772

Google Podcast: https://podcasts.google.com/?feed=aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy9kYmI3ODhjL3BvZGNhc3QvcnNz

Todo projeto do DFÁguasClaras foi pensado de forma compartilhada e comunitária, por isso hoje carregamos a responsabilidade e o orgulho de ajudar Águas Claras a ser uma cidade melhor.